Quadrinhos da minha estante #16

 


Laura Dean vive terminando comigo

Autora: Mariko Tamaki | Ilustradora: Rosemary Valero-O'connell

Editora: Intrínseca 

Gênero: Quadrinhos, Ficção, romance, LGBTQIA+, young adult

Páginas: 304



"Laura Dean vive terminando comigo" é uma graphic novel delicada e envolvente, lançada aqui no Brasil pela Intríseca, e conta a história de Freddy Riley, uma garota de dezessete anos, que vive um relacionamento de idas e vindas com Laura Dean, uma das garotas mais populares da escola.


Freddy vive confusa com as atitudes de Laura, que ja terminou com ela várias vezes e depois acabavam reatando. Mas Freddy está ficando cansada disso e ela só não percebeu ainda. Tanto, que escreve pedindo conselhos para uma coluna de relacionamentos. E durante os e-mails que ela envia para a coluna, vamos nos aprofundando no que Freddy sente, embora ela mesma não se entenda, levando o leitor a entender a protagonista, antes dela própria. 

Freddy é romântica e até certo ponto, impulsiva. Mas ela está se apagando, se anulando em função de um relacionamento, que em vez de somar em sua vida, na verdade, está subtraindo a garota dos seus amigos, de sua familia e sobre tudo, de si mesma. A protagonista toma atitudes questionáveis, em que a gente fica "what? whaaaaat?" mas ao mesmo tempo percebemos que ela aprende com seus próprios erros.





Laura Dean... bem, a história não a põe como vilã. A autora tomou o cuidado de não usar maniqueísmos (essas coisas de bem e mal, de vilã x mocinha). E ainda assim, é quase impossível evitar a indignação com o seu comportamento. Laura é impulsiva, magnética, energética, egoísta e até certo ponto, egocêntrica. Sem contar como age de maneira babaca em alguns momentos. É perceptível que ela gosta (?) da Freddy, mas não se esforça em não magoar a namorada. Não tenta entender o outro lado, pois, de alguma maneira, ela parece apenas enxergar o seu próprio umbigo. Laura tem um ar de mistério arrebatador, mas depois a gente percebe que essa criaturinha só não quer encarar um relacionamento de verdade. Ela tem uma namorada, mas só a procura quando se sente só.


Então a gente fica (tá, okay, eu fiquei), torcendo para Freddy tome um atitude, que confronte a Laura, ou que a Laura amadureça de alguma forma. E assim vamos sendo levadas pela história delas.


Temos também outros personagens, como os amigos da Freddy: O casal de garotos Eric e Buddy e a melhor amiga, Doodle. Além de aparições aqui e ali dos pais delas e de outros personagens como a chefe da lanchonete onde Freddy trabalha, e uma atendente da loja de donuts que tem vários empregos para pagar a faculdade.


Todos os personagens de Laura Dean vive terminando comigo, são vivazes e únicos. Nenhum passa pelo caricato ou óbvio. Outro aspecto interessante dessa novel, é o ambiente ficcional em que se passa: uma época em que é perfeitamente comum ser gay (não que hoje não seja, mas o preconceito ainda é grande e o desrespeito é ainda maior). Não tem mais tabus a respeito disso, nem os  personagens precisam lidar com luta por direitos ou reconhecimento. Chega a ser um sopro de esperança de que daqui a não muito tempo as coisas estarão como sempre deveriam ter sido.


Agora, saindo um pouquinho da história para falar do trabalho incrível da ilustradora. É a primeira vez que tenho contato com o trabalho da Rosemary Valero-O'Connell. Eu amei o traço dela, e as suas ilustras tem um assinatura própria, pela qual estou encantada até agora. Ela soube traduzir o roteiro da Mariko de uma maneira que não dá para imaginar diferente. 


O projeto gráfico está a coisa mais linda, e a capa me encantou de cara. Internamente, a novel é predominantemente PB, com toques de rosa ou magenta aqui e ali para dar destaque em algo. Tudo bem delicado, de forma a trilhar os caminhos da história através dos detalhes.


Laura Dean vive terminando comigo é uma graphic novel delicada e inspiradora, com personagens LGBTQIA+, e que fala de amadurecimento, de primeiros amores e de que, ás vezes, a gente precisa se entender com a gente mesmo para quebrar padrões difíceis.


Leitura super indicada para quem curte o formato Graphic Novel e histórias que nos fazem refletir sobre a gente e sobre o outro.


Vou ficando por aqui e... até a próxima, folks!