quarta-feira, 22 de julho de 2015

Morto até o anoitecer

Autor: Charlaine Harris
Gênero: Ficção, Vampiros
Páginas: 314
Editora: Ediouro

Na cidade de Bons Temps, a garçonete Sookie Stackhouse está tendo um dia normal tentando não ler as mentes de seus clientes quando de repente entra um novo rosto no bar. 
Um homem entra se senta e pede sangue sintético. Sim, ele era um vampiro. Isto não é novidade para Sookie, o que a surpreende é o fato de não conseguir ler a mente dele!
Este é o princípio do primeiro volume da série "Vampiros do Sul", que inspirou a criação da série da HBO "True Blood".
Francamente, eu não vejo a série da tv. Vi um episódio e não gostei. O livro inicialmente não me prendeu, mas como toda a série, a cada volume seguindo os personagens acabamos tendo uma relação de amor e ódio com a trama.
Neste universo criado por Charlaine Harris, os vampiros "saíram do caixão". Eles se revelaram ao público após uma empresa japonesa ter desenvolvido um sangue sintético engarrafado. Vampiros então não precisam matar alguém, eles vão ao mercado e compram garrafinhas de seu sangue sintético e levam para casa e tomam quentinho do microondas. Totalmente civilizados... só que não.
Após a revelação, alguns humanos (sempre tem um louco) se oferecem voluntariamente para serem "bebidos" pelos vampiros. Estes fãs são muitas vezes problemáticos e os seguem no intuito de serem transformados.
Os vampiros neste universo tem uma hierarquia de principados, xerifes e delegados que vão sendo revelados conforme o andamento da trama.
Voltando ao princípio: Sookie a telepata garçonete, não consegue ler a mente de Bill Compton, o vampiro novato da cidade.  Ninguém da cidade quer se envolver com o vampiro, mas Sookie fica tão intrigada e se sente tão bem de não precisar ficar constrangida por ouvir o que ele pensa. Que ela começa uma "amizade" que evolui para o namoro após ela salva-lo de caçadores.
Em paralelo as "Tietes Vampiras" começam a aparecer mortas na cidade, levando a muitas questões e todos desconfiando do único vampiro na cidade: Bill. Esta é a deixa para a entrada em cena de Erik, o xerife da região em que está a cidade de Sookie. Ele é também o dono do bar vampiro mais badalado da região, o "Fangtasia". Que tem papel principal nos demais livros da série.
O livro tem todos os clichês de romances vampiros que saem atualmente: Homens excessivamente bonitos e perfeitos, muito sangue, mistério e conflitos e o inicio de um (dos vários) triângulos amorosos futuros.
Se você quer descontrair e sair da rotina com uma leitura descompromissada, ou se envolver em uma longa série vampiresca (tem mais de dez volumes) este é o livro.
Pessoalmente desteto o Bill desde o primeiro volume, nos próximos livros a autora adiciona outros personagens fantásticos na trama, como lobisomens, metamorfos, homens felinos e fadas.
Quem se arriscar a ler, depois passe no post e comente o que achou.
Eu indico, principalmente o volume sete: "Todos mortos juntos", é muito bom! Tem suspense, ação e muita aventura. 

ALERTA DE SPOILLER!!!  E o melhor: Não tem o Bill!

O livro teve uma nova edição após o lançamento da série para a TV com as fotos dos personagens na capa, pessoalmente eu não gostei. Uma das razões de eu ter gostado quando lia a série eram as ilustrações. É muito divertido a rotina de Sookie é retratada nos desenhos. Abaixo vocês conferem as capas da série.

Capas Ilustradas
Postar um comentário