segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Preguiça de escrever, como lidar?


Olá, caros leitores!

Sim, eu sei. Atrasei um pouco a matéria dessa semana, mas...antes tarde do que nunca, não é mesmo? Bem, se já me perdoaram, podemos começar!


Hoje falaremos de uma realidade dura e cruel que poucos admitem viver, A preguiça de escrever. Escrever também faz parte da vida do leitor, afinal desenvolver resenhas é um ótimo passatempo, além de nos ajudar a fixar a história. Mas, infelizmente, a preguiça se apossa da mente e corpo do indivíduo sem ele sequer perceber.  Quando vai ver, a meta de resenhas não saiu do papel.
Pesquisas comprovam que um dia de preguiça na semana é saudável para nós, porém há quem queira ser “super saudável” e prolonga isso para a semana inteira quando o assunto é escrever. Há vários motivos para se ter preguiça de escrever, pode ser por estresse, desinteresse pelo assunto, depressão, excesso de trabalho ou pura preguiça mesmo.  Independente de qual seja o seu (e, sinceramente, espero que não seja depressão), você está lendo esta matéria com um objetivo: Aprender a lidar com sua preguiça.


Não precisamos gritar com ela, mandá-la fazer as malas e chutar seu bumbum porta afora. Mas precisamos impôr limites e regras, ela é sua companheira de quarto, se deixar, pode ter certeza que na primeira oportunidade te convencerá a jogar vídeo game ao invés de tomar banho. 
Antes que perceba estará cheirando a queijo gorgonzola depois do terceiro dia sem ver o chuveiro.
Certo, certo...é muito fácil falar, quem vai dispensar aquela sonequinha depois do almoço para escrever uma resenha, ou rejeitar assistir aquele episódio de sua amada série, por exemplo? Não sou santa, tenho um relacionamento conturbado com minha inquilina, mas no final das contas, acabamos por nos entender. E com a minha vasta experiência em guerra convivência com a preguiça, tomei a liberdade de compartilhar as minhas dicas aqui no Barato Literário. Afinal, escritora de primeira viagem, elaborar matérias toda semana foi um belo treinamento.  Vocês estão prontas crianças?
Basicamente, será preciso treinar seu cérebro para produzir resultados. Toda criança já teve preguiça de escovar os dentes antes de dormir, e o argumento é o mesmo diante dos pequeninos olhos remelados de sono: “Posso pular só hoje, por favor?”. Depois de adultos, nem pensamos muito e já nos dirigimos ao banheiro para tratar de nossos dentinhos.
Adquirimos o hábito com muita insistência (de nossos pais) e acima de tudo, adestramos os nossos miolos para essa rotina. Usaremos aqui o mesmo princípio, ensinando nossa mente que em determinado horário, lugar ou circunstância, você irá escrever. Com essas palavras, parece ser muito difícil, penoso e exaustivo. Não vou mentir, vão suar um pouco, mas nada que com o tempo passe a fluir suavemente.


Porque escolher um lugar?
A resposta é simples: associação. Esta é uma função básica do cérebro, a utilizamos desde criança para saber que quando choramos, ganhamos colo, por exemplo. Através dessa ferramenta, faremos com que, ao sentar de frente ao computador, nos aninharmos na poltrona com o caderno em mãos ou simplesmente se ajeitar na cadeira da cozinha, saibamos que estamos prestes a ativar o lado criativo de nossas cucas para escrever, produzir algum conteúdo.
 Acredite, depois de alguns dias, não precisava passar a semana inteira planejando matéria alguma, apenas selecionei um dia e um lugar para fazê-lo, e ao me sentar para escrever, tudo avançava da maneira como deveria, sem sofrimento. Vale super a pena tentar, gera ótimos resultados.


Preciso mesmo estabelecer um horário?
Eu sei, rotina muito corrida, horários instáveis. Mas vou lhes explicar o quanto vale a pena estabelecer um horário para escrever.
 Com essa técnica iremos ensinar o nosso cérebro a se concentrar, separe duas horas para desenvolver o seu conteúdo com dois intervalos de 15 minutos. Fazendo isso por um tempo, mesmo que esteja muito difícil de espremer algo de seu encéfalo, ainda que seja uma atividade cansativa, você estará treinando sua mente para se concentrar.
Esse é um treinamento, assim como musculação. De nada adianta tentar dia sim e dia não, esforce-se para manter este exercício e o resultado será uma facilidade muito grande em começar a escrever quando quiser, no tempo que quiser.


Concluindo...
Por experiência própria, vale super a pena. Com duas semanas separando um local específico e um horário para essa tarefa, mesmo com preguiça, sono, dor, impressionantemente ao me posicionar para começar, não encontrava dificuldades em me concentrar e desenvolver meus conteúdos.
O porquê é simples: Eu treinei meu cérebro, dessa maneira ele já se preparava para trabalhar seu lado criativo quando me propusesse a começar e terminar o meu dever.
Viram só? Eu mesma, nessas duas semanas negligenciei meu treinamento e acabei “deixando para mais tarde” ou até mesmo com aquela desculpa de “só essa vez”. É...eu disse que tenho um relacionamento conturbado com minha preguiça.

E qual a relação de vocês com a preguiça? Possuem alguma dica para ajudar a conviver bem com nossa amada amiga? Compartilhem conosco nos comentário!

Até a próxima, crianças! 


Postar um comentário