domingo, 22 de fevereiro de 2015

O Baile das Lobas de Mireille Calmel

Autor: Mireille Calmel
Gênero: Ficção, Romance Histórico
Páginas:344, Volume I - Câmara Maldita
421, Volume 2 - A Vingança de Isabel
Editora: Nova Fronteira

No primeiro volume de "O Baile das Lobas", somos apresentados a pequena cidade na França de Montguerlhe, no ano de 1500. Isabel é a filha mais velha de uma família simples e está muito feliz, pois seu casamento com o amor de sua vida se aproxima. Porém, algo inesperado acontece, pouco antes de seu casamento, o senhor das terras Francisco de Chazeron faz uma visita aonde ela vive. 

Quando Franscico a vê a única coisa que sabe é que ele deseja Isabel para ele. Mas não se engane, isto não é uma história de amor entre um homem poderoso e uma plebeia. Franscico não ama Isabel, ele só a deseja. E como cruel tirano que é, exige que a primeira noite da dama seja com ele. 

Em desespero, Isabel e seu noivo resolvem fugir antes do inevitável, mas Francisco os surpreende. Ele manda que seus homens matem o noivo de Isabel na frente dela. Ele à leva até seu castelo, onde a viola com requintes de crueldade e em seguida manda que a joguem na floresta em meio a neve para morrer de frio ou ser devorada pelos lobos da região.

O que Francisco não sabe, é que Isabel tem em seu sangue um dom de família que a liga aos lobos que não fazem mal a ela. Reunindo suas poucas forças ela entra em uma caverna onde tenta se recuperar.
Francisco vê as roupas esfarrapadas e as pegadas de lobo e pensa que ela foi devorada.
Mas Isabel não esquece e cada dia no frio e na escuridão da caverna ela traça e planeja sua vingança, que apenas a morte não seria suficiente para satisfazer.

Com mais de 700 mil exemplares vendidos na França, Mireille Calmel produz nesta obra de dois volumes ("A Câmara Maldita" e "A Vingança de Isabel") uma saga de vingança e dor. Os personagens são movidos por emoções extremadas e boa parte da história se desencadeia por decisões impulsivas que eles tomam movidos pela dor ou paixão.

O livro é bem contextuado na época, com participação de personagens marcantes como Paracelso, Albéria e Hugo de La Faye. Os Lobos não tem papel principal na trama, sendo o dom de Isabel apenas algo secundário, sem grande destaque na obra.

A edição tem um recorte na capa vazado no formato de pata de lobo, transmitindo charme e elegância a obra. Recomendado para quem gosta de tramas de vingança e romances históricos. 

Sinopse: Isabel não saberia dizer quando começou a sentir frio. Foi uma sensação a um só tempo breve e violenta. E dolorosa, isto sim, infinitamente dolorosa. Ergueu a cabeça. Em meio às nuvens negras que se acumulavam, prestes a desabar sobre Auvergne, a lua cheia sorria em sua placidez de alabastro.
Isabel percebeu que estava de bruços na lama de um riacho, fora da última cinta do castelo, sem qualquer outra lembrança além dos olhos cruéis de Francisco acima dos seus enquanto ele fazia o que bem entendia em seu ventre, emitindo grunhidos de prazer. Foi a dor que a trouxe de volta à vida. Naquele instante, um raio cruzou a noite furiosa, iluminando uma abertura no paredão da montanha. E, quase imediatamente, a tempestade caiu sobre suas feridas, como que limpando a injúria que sofrera. Tinha ainda a impressão de que o seu corpo estava todo quebrado, moído, dilacerado, mas pouco lhe importava.
Enquanto enfiava seus dedos na lama, tentando se arrastar até o abrigo da gruta que avistara, uma palavra, uma única palavra pôde amainar a dor de suas feridas.
Vingança. Vingança.
Postar um comentário