quarta-feira, 6 de maio de 2015

Ciclo das Trevas - O Protegido

Autor: Peter V. Brett
Gênero: Dark Fantasy, Ficção, Terror
Páginas: 510
Editora: DarkSide Books

Ninguém está tranquilo quando a noite chega, poís com ela chegam os dêmonios. Há muitos séculos demônios travam uma guerra com os humanos quando a noite cai. Eles são divididos em diversas raças de acordo com seu elemento: água, rocha, areia, vento, fogo e madeira. Eles são chamados de Terraítas. Durante estes anos apenas um homem foi capaz de combate-los: O Salvador. Infelizmente contam os menestréis, que quando o Salvador baniu os demônios a humanidade voltou a ser mesquinha e guerreou entre si. Esquecendo a irmandade que havia quando lutavam contra os monstros. O Salvador partiu e nunca mais voltou, se tornando apenas uma lenda de baladas e contos.
A única coisa que protege as cidades e impedem que todos morram são as proteções. Proteções são simbolos mágicos que gravados afastam os demônios formando um campo de força. Então para proteger uma casa, um protetor (aquele que grava proteções) pode gravar os símbolos em postes(contra demônios do vento) e na casa e nos muros (contra os demais). Eles vão bater numa parede invisível e serem repelidos, porém se em algum momento um dos símbolos se desgastar ou for coberto por algo, toda a redoma cai e só resta correr, lutar ou rezar. 
Arlen é um adolescente que mora em um sítio num pequeno vilarejo, mas ele sonha em poder atravessar as cidades e viajar como os Mensageiros.
Os mensageiros são as únicas pessoas que viajam entre cidades pela noite, eles lutam e enfrentam os demônios com suas lanças, para poder enviar cartas e mercadorias de um povoado a outro. Junto de um mensageiro sempre vai um menestrel, com seus truques e canções para alegrar o povo.
Arlen quer viajar e ser um lutador como mensageiro, mas a noite tem outros planos e muda a vida dele para sempre...
Leesha é uma jovem garota, prometida ao rapaz mais bonito da vila com quem sonha em se casar. Sua vida muda no entanto, quando um ataque acontece aonde vive. Ela descobre que pode ter uma vida diferente se fizer outras escolhas por conta própria...
Rojer é uma criança que sonha em ser um menestrel, mas uma ataque a sua casa também muda sua vida de um jeito traumático.
Estes são os três personagens principais da trama. O livro retrata a vida dos três até o momento de seu encontro e a história individual de cada um é singular e marcante. A transformação principalmente de Arlen do garotinho ao homem é a que mais pode chocar o leitor. Sua busca o torna um homem diferente de tudo que um dia ele sonhou ser. Mas para saberem como isto acontece, vocês terão que ler o livro. 
A Edição da DarkSide é impecável! O livro está em capa dura com uma ótima diagramação e uma fita de cetim para marcar as páginas. Também acompanha uma cartela de tatuagens para quem quiser se aventurar e testar algumas proteções.
O segundo volume da série deve sair no segundo semestre deste ano.
Recomendado a todos que gostam de fantasia e querem sair do comum e embarcar num novo universo.

Sinopse: Ao cair da noite, eles surgem por todos os lados, famintos por carne humana, demônios de areia, de vento e até de pedra, conhecidos como terraítas. Depois de séculos, a humanidade definhou e se tornou refém da escuridão. Arlen, Leesha e Rojer, jovens sobreviventes, atrevem-se a lutar e encarar as trevas. O jovem Arlen recebe os ensinamentos de um mensageiro e descobre que o medo, mais que os demônios, é o mal a ser combatido. Leesha tem a vida destruída por uma simples mentira e se torna ajudante de uma velha e misteriosa ervanária. E o destino de Rojer muda para sempre quando um menestrel chega à sua vila com uma rabeca. Juntos, eles podem oferecer ao mundo uma última, e fugaz, chance de sobrevivência. O impressionante universo criado por Peter V. Brett - que, assim como muitos de nós, foi educado com uma rígida dieta de romances fantásticos, HQs e Dungeons & Dragons - cativa e emociona o leitor, nos tornando parceiros e reféns de seu mundo e personagens. Peter constrói uma bela metáfora sobre o medo e como precisamos confrontá-lo todos os dias.
Postar um comentário