sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Barateando na Fest Comix - 2015


Em 2001, quando os proprietários da Comix Book Shop criaram a Fest Comix, não imaginavam que se tornaria a maior e mais tradicional feira de quadrinhos do Brasil. A primeira edição foi realizada na rua em frente da livraria, na Alameda Jaú, em São Paulo, reunindo duzentas pessoas. O objetivo era aproximar os editores do público. O sucesso constante resultou na ampliação de espaço para acomodar o público crescente até chegar à edição do ano passado, com cerca de 20 mil pessoas.  
Em Julho/2015 conferimos a 21ª edição comemorando os 15 anos do evento! Foi colocado à disposição do público, mais de 550 mil quadrinhos, entre nacionais e importados, com preços a partir de um real. Todos os produtos tinham descontos de 20% a 80%, inclusive os lançamentos.
Só que essa edição não se resumiu aos descontos matadores. A Fest Comix 2015 inovou na programação e nas atrações, trazendo artistas nacionais e internacionais de peso (falo deles aqui), para palestras, debates e autógrafos. Não bastasse isso, ainda tiveram os espaços exclusivos como o Minas Nerds, Estandes de editoras e autores nacionais, espaço para autores independentes, palco para cosplays, exposições e o cantinho (assaz barulhento) da JBC.


 A primeira coisa que fez meus olhos brilharem quando tive acesso à programação da Fest Comix foi o espaço para autores nacionais e independentes que estaria com tudo nessa edição. Vocês sabem como adoramos dar apoio a autores nacionais, sejam de fantasia, quadrinhos ou outras loucuras. Foi realmente uma festa e pudemos bater um papinho com essa moçada interessante e bacanuda que estava a dar o ar da graça!
O estande oficial da Comix estava com tanta promoção absurda que meu cofrinho chorou quando foi extorquido sem dó nem piedade, hahahahaha. Mesmo assim foquei na galera nacional que estava lá, dando o melhor de si, mostrando seus trabalhos!
O primeiro estande em que aportamos foi o da editora Draco, onde encontramos Raphael Fernandes, autor de “Apagão”. Uma HQ nacional que já está com o primeiro volume lançado de uma trilogia. Claro que essa HQ voltou com a gente pra casa, hehehe.

Em 2013, Rapahel lançou um projeto de financiamento coletivo no site Catarse.me, a graphic novel "Apagão – Cidade Sem Lei/Luz", desenhada por Camaleão. Os dois já haviam trabalhado juntos em Imaginários em Quadrinhos e na revista Mad6. Apesar de ser conhecido pelos seus trabalhos com histórias em quadrinhos, Raphael também mantém o site Contraversão, colabora com diversos blogs, além de atuar como redator e especialista em mídias sociais. O cara é 10 e em breve rolará uma resenha de Apagão aqui no blog (assim que eu ler os mil livros na fila... Óh céus!)!


Conhecemos o Sérgio Biscaldi na Aquário Editorial com seu livro infantil “As cores do Esquisito”. A coisa mais fofa que já vi. Com ilustrações lindíssimas (a lá Tim Burton) temos a história de um garoto esquisito que parte em uma aventura interna em busca de seu real talento. Profundo, né? Tenho minhas duvidas se esse livro é só para crianças mesmo...


 Batemos um papo com a Ana Cristina Rodrigues, autora  e historiadora (que chic!) de Anacrônicas, uma antologia de contos surreais. Uma simpatia de moça, a Ana nos aturou e ainda teve saco para gravar um recadinho pra gente (em breve esse vídeo aparece lá no canal). Como escritora, Ana é uma contista de mão (e criatividade) cheia, com mais de 25 contos publicados no Brasil e no exterior. Apesar de se aventurar na Ficção Científica e no Terror, a praia dela é a Fantasia, principalmente a Histórica (segundo suas próprias palavras) – se bem que vira e mexe dá de cara com a Fantasia Urbana.



 Na EditoraMarsupial encontramos o livro de quadrinhos “ Feitiço da Vila”. Uma série de histórias em quadrinhos com adaptações das canções de Noel Rosa. Fiquei encantada com o projeto e quando vi já estava com ele na mochila... Lá conversamos com o Lucio Luiz, autor de umas das histórias do Livro.
Lucio Luiz é jornalista e faz pesquisas nas áreas de quadrinhos, tecnologia (especialmente podcasting) e cultura participativa. Também é editor-chefe da Marsupial Editora e podcaster no Papo de Gordo.


Entre os independentes encontramos os simpáticos garotos do Píbola, com suas tirinhas maneiras e divertidas sobre Baboom, um cão vira-lata, desastrado e ingênuo. Muito alegre e atrapalhado, sua empolgação só é interrompida pelo barulho de um trovão ou rojão, quando sai correndo tropeçando em tudo e em todos. Um olhar divertido sobre a rotina suburbana do ponto de vista dos cães.


O Kiko Garcia da Kikomics estava lá com seus quadrinhos de terror bem humorado! Destaque especial para Catacumba - Terror Na Escada! Garcia é ilustrador, roteirista, designer gráfico e de web. Publica quadrinhos, pela sua editora Kikomics Quadrinhos Independentes e promove vários eventos para público interessado neste tema.












Conhecemos Guilherme Solari com “As Crônicas de Cascavel” e foi no mínimo intrigante conhecer um personagem que resolve combater o crime com todas as táticas de luta que aprendeu com filmes de ação dos anos 80... taí uma coisa que preciso mesmo ler, hahaha

Solari é escritor, jornalista, resenhista, bloguista (queria mais uma palavra para rimar com “ista”) e passou sua infância entre videogames e filmes de ação, embora seu principal hobby fosse imaginar sozinho histórias mirabolantes com ninjas, dinossauros e ciborgues (só eu lembrei de Robocop?). Depois de viver umas aventuras dentro e fora dos livros acabou escrevendo “Quando os Pesadelos Acordarem” e Crônicas de Cascavel”, além de participações em antologias e escrevinhar peças de teatro. Infelizmente, quando cheguei no espaço dele já estava sem grana e não trouxe o livro comigo. Mas mesmo assim, suas obras entraram para minha lista de futuras leituras! XD

Da série Blogs que viraram livros...


Carlos Ruas de "Um sábado Qualquer" e Fernanda Nia de “Como eu realmente...” estavam lá com seus deliciosos livros de tirinhas... depois de uma tietagem básica trouxemos para casa os livros e mais uma companhia peluda muito agradável. Luci. Hahahaha





Saldo final do Evento: muito cansaço, novidades e mochilas recheadas de futuras leituras.

Chegar na fest comix 2015 foi super tranquilo. Assim como na edição anterior, a organização disponibilizou vans para levar e trazer a galera. Validar a credencial também foi bem tranquilo e sem filas.
Tenho que dar os parabéns para a organização do evento que esse ano estava com um espaço para autores nacionais e editoras de pequeno porte, bem bacana e destacado. Dava para conversar com a galera, embora fazer entrevistas (que era nosso principal objetivo) teve de ser deixado pra lá. O barulho estava ensurdecedor.
Os palcos também estavam interessantes com atividades tudo de bom (apesar da distribuição do som ter ficado uma bagunça. Os palcos estavam próximos e foi tenso conseguir ouvir o que estava rolando no espaço Minas Nerds, por exemplo).
O espaço para autógrafos não tinha sinalização e ficamos um bom tempo boiando até sacar para o que servia de fato.
Não haviam muitas opções de alimentação e as poucas presentes estavam carésimas. Bom, como frequentadora do evento desde quando ele era lá na alameda Jaú, posso dizer que comida nunca foi o forte da Fest Comix (hahahaha), já que o foco está em oferecer material com super descontos, além de proporcionar uma experiência de integração entre os fãs de quadrinhos e colecionadores com autores e editoras.
Talvez pareça bizarro que mesmo com as atrações internacionais, a galera aqui do Barato tenha focado nos convidados nacionais e sobretudo, os independentes. Mas se analisarmos um pouquinho melhor, veremos que não é tão bizarro assim. Ler é o maior barato e descobrir novos autores, novos materiais e novos universos também é. Simples assim. Tinha uma galera com trabalhos incríveis e não estavam filiados a nenhuma editora grande. Infelizmente não deu para conversar com todo mundo, afinal esse post ficaria com milhares de milhões de quilômetros e daria várias voltas no globo terrestre antes de chegar ao fim... De qualquer maneira valeu a pena, e espero encontrar mais trabalhos bacanas, como os que vi por lá.

Por hoje é isso! o Post está atrasado, mas é claro! hahaha levei um tempo considerável para reunir e organizar todas as informações... :P

Para conferir o albúm completo do evento clica aqui.

E aí, o que achou de nossa aventura Baratal na Fest Comix? Conta pra gente! ;)
Postar um comentário