quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Contos Amargos


Autor: Alessandra Morales | Allana Machado | Bruno Catão | Paulo Victor Mendonça
Gênero: Ficção
Páginas: 80
Editora: Pendragon


Quando terminei de ler essa pequena antologia de 16 contos, fui pra cama e deitei virada para o teto, os olhos no escuro, revendo as imagens de cada uma das histórias. E não eram alegres. Eram fortes, cheias de mágoa e medo. Talvez a natureza humana goste de uma desgraça requintada, amarga e gourmet para combinar com a evolução de nossa espécie. Partindo desse ponto, me arrisco a começar essa resenha dizendo que os Contos, apesar de Amargos são deliciosos.

Se eu fosse dar minha opinião sobre cada um dos textos apresentados, essa resenha teria uns bons quilômetros de cumprimento. Mas por enquanto eu quero falar apenas do que senti. E senti muitas coisas.


Gosto de leituras que mexam comigo. Que me façam sentir dedos cutucando meu cérebro, apertando botões, virando chaves e batendo nas portas da minha própria finitude. E Contos Amargos faz exatamente isso. Se trata de um livro para ler sem preconceito, sem vergonha e sem frescura.

É uma leitura que machuca, aperta, sopra e beija. Lateja. O mais interessante disso é que, são usados apenas elementos que passeiam entre a realidade e como a nossa psique lida com ela. E talvez seja exatamente por isso que a gente se sinta tão à vontade em caminhar pelos corredores de câncer, obsessão, morte e amores rasgados. Por que mesmo no lado mais escuro do qual fugimos mesmo sem perceber há o sublime. É só não ter medo e seguir.

Apesar de me recusar a falar de cada um dos contos, escolhi meu texto favorito de cada autor:

Meu Dono

De Alessandra Morales

Eu tinha achado fofinha a narrativa da Alessandra, até chegar em "Meu dono". A história de uma garota e seu monstruoso primeiro amor. A quebra de realidade no final do conto é desconcertante. Um desmaio e uma lágrima por esse texto. Também gostei muito de "O Sorriso e a ausência". 

Obsessão

De Allana Machado

Diego é o irmão mais velho perfeito. E sob a perfeição guardamos segredos profundos, inexplicáveis, doloridos. Ler os contos da Allana é como encontrar poesia na lâmina da navalha. São textos fortes, crus e insólitos. Virei fã. Eu sei que ia escolher um conto só, mas poxa, preciso dizer que adorei também o texto "Coisinha". Um dos contos mais phodásticos e cáusticos que li na vida. #prontofalei

Beijando a Lona

De Bruno Catão

A narrativa de Catão é insólita e delinquente. Ele te leva para dentro do personagem e quando percebemos já é tarde. Tive um pouco de dificuldade em escolher o meu favorito, pois ele me amarrou em cada um de seus textos.  Beijando a Lona é a história do ex-lutador de boxe, o “Sr. Norival”, contada pelos olhos de seu neto. Falando assim, não parece nada demais, só lendo mesmo para saber o que estou falando.

Retaliação

De Paulo V. Mendonça

Quando bate o desespero, a primeira coisa que fazemos é procurar culpados. Alguém tem que levar a culpa.  E é disso que fala esse conto de penumbra, galpão e faca. Rick é tão perturbado que incomoda, e isso é perfeito. Também adorei o conto "Princesa". A narrativa de Paulo é esquizofrênica e imersiva. ADOOOORO!


Contos Amargos é o livro de estreia de 4 autores iniciantes, que acabaram se reunindo durante os cursos do Escrevivendo. E sabe? Eu diria que esse livro é uma prova que, quando bem orientado, um autor iniciante pode começar com 110% de sua capacidade, chutando portas, abrindo seus caminhos por si mesmo, usando como espada um trabalho que vai além da boa qualidade.

Minha única ressalva é que, teria fechado o livro com o conto "Caronte" de Bruno Catão, por motivos de: só lendo para entender. Mas essa é só minha opinião de leitora metida a editora, totalmente ignorável.

Nem preciso dizer que a leitura é mega recomendadíssima, ou preciso?
Postar um comentário