terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

O Clube dos anjos


Autor: Luis Fernando Verissimo
Editora: Companhia das Letras / Selo Alfaguara
Gênero: Ficção
Páginas: 144

“Naquele tempo ainda pensávamos que seríamos uma legenda, que essa cidade era pouco para o nosso apetite. Filhos da puta sim, mas grandes filhos da puta, príncipes da puta.”

O clube dos anjos conta a história de um grupo de amigos que se reúnem desde a adolescência para comer e celebrar o prazer da gula. E com o tempo foram evoluindo seus gostos, e deixaram de lado o picadinho com farofa de ovo que comiam no bar, para elaborarem jantares chiques em restaurantes seletos. Também conta como esse grupo quase deixou de existir e finalmente se reencontrou por causa de um cozinheiro genial e ao mesmo tempo muito misterioso.

A história é narrada em primeira pessoa por Daniel, um dos membros fundadores do “ Clube do Picadinho”. Daniel é grande, desajeitado, já passou da casa dos quarenta, vive de mesada, já foi casado três vezes, e, fora organizar os jantares do clube, ele escreve histórias absurdas que nunca serão publicadas, escondido em seu escritório todo decorado como uma toca de esquilo.


Um dia, Daniel encontra com um homem misterioso chamado Lucidio. Depois de uma tarde de conversa solta, Lucidio se oferece para cozinhar para o Clube de Daniel, que está praticamente deixando de existir depois da morte do mentor do grupo, o Ramos. E a cada jantar, um por um do grupo vai morrendo envenenado. Eles sabem que estão sendo mortos. Eles sabem que cada jantar pode ser o último. E ainda assim, todos os meses, quem restou do grupo se reúne novamente. Por que? Bem... porque eles gostam de comer, e de comer bem. E se isso significar morrer, então que seja. Absurdo né? Taí, acho que absurdo define bem o sentimento de ler O clube dos anjos.

Esse foi um daqueles livros que terminei e pensei: “okay, agora como vou falar disso?” Eu não diria que O clube dos Anjos é um suspense. Afinal, desde o início, sabemos quem está envenenando o grupo. Eles também sabem. Não há segredo nisso. E já que não há o mistério a respeito de “Quem”, nos resta buscar o Porquê. E enquanto Daniel vai narrando a história, misturando passado e presente, vamos conhecendo os membros do clube, suas particularidades e suas escrotisses. Sim, os membros do Clube do Picadinho são escrotos, machistas e sujos.

Uma das coisas mais interessantes, é ver como um grupo de pessoas “bem nascidas” com tudo para dar certo e dominar o mundo, se perderam e se tornaram tão frívolos, vulgares e derrotados. É quase hipnótico acompanhar a derrocada e morte de cada um. Observar, do alto do absurdo, como esses personagens reagem ao prenuncio de suas mortes. Alguns com conformismo, outros com pompa. Também é hipnótico ver o grupo ir diminuindo, diminuindo, até restar apenas aquele que narra a história, e ainda assim, ele próprio já estar com os dias contados.

Indico super essa leitura para quem curte sair da zona de conforto e embarcar numa proposta existencialista sem frescura nem pieguice e que vai deixar umas pulgas reflexivas atrás da orelha.  O Clube dos Anjos nos oferece personagens complexos e bem construídos, uma trama que apesar de não recorrer a elementos surpresa, sai completamente fora do lugar comum. Há uma boa dose de humor negro, no sense e de absurdo que faz cada minuto dessa leitura valer a pena. Leitura inclusive que flui fácil e rápido, pois os capítulos são curtos, e o livro todo não chega a ter nem 150 páginas.

Vou ficando por aqui e...
Até a próxima folks!