Antes do Despertar



Autor:
 Greg Rucka

Ilustrações: Phil Noto 

Editora: Seguinte 

Gênero: Ficção, Fantasia

Páginas: 200

Essa é uma resenha comemorativa do universo do Star Wars, afinal, no dia 4 de maio fãs do mundo todo comemoram a franquia. A data tem origem no trocadilho em inglês que faziam sobre a famosa citação dos Jedis: Que a força esteja com você. Em inglês a frase é "May the force be with you" que daria para trocadilhar por may the fourth be with you ( que o 4 de maio esteja com você). 

Muita gente tem desgosto dos rumos que a franquia tomou com a nova leva de filmes (eu inclusa, mas isso é papo para um outro dia), que abriu com o Despertar da Força. Para ser sincera, eu gostei bastante de o Despertar da Força e por isso, trouxe um livro que marca a prequel do que rolou com os personagens antes do filme. Lançado no aqui Brasil pela editora Seguinte, StarWars - Antes do Despertar, conta um pouco sobre como era a vida de Rey, Poe e Finn antes de os seus destinos se cruzarem na história contada no filme. Simbora? Então vamos! 

O livro se apresenta em três capítulos, cada um focado em um personagem diferente. Se trata na verdade de, três contos, recortes das vidas dos personagens.

Finn não tinha ainda um nome, se tratava apenas de FN-2187, um promissor stormtrooper, um dos favoritos da Capitã Phasma.  Nesse conto, Finn recebe mais algumas camadas que vem somar ao personagem. Ele passou por todo os treinamentos dos novos stormtroopers da Nova Ordem e era com certeza um dos melhores. No entanto, tinha incertezas, se sentia quebrado, pois várias vezes ele tinha pensamentos e comportamentos que não condiziam com um stormtrooper, como espírito de equipe, empatia e dificuldade de executar ordens que envolvessem matar pessoas inocentes. Ou seja, toda a lavagem cerebral que os candidatos a stormtoopers passavam, não fizeram efeito em Finn. Na história apresentada nesse livro, podemos acompanhar um pouco da relação do Finn com a Capitã Phasma, com sua equipe e o acompanhamos em sua primeira missão oficial.

Rey é apresentada em sua vida dificil em Jakku, um planeta desértico que vivia a base de mineração de sucatas. Ela vive sozinha, é super inteligente e se vira muito bem. Ela tem uma energia inabalável e certa forma até selvagem. Por ser uma catadora de naves sucateadas, conhece muito bem os variados tipos de espaçonaves, e aprendeu a pilotar em um simulador de vôo que encontrou em suas andanças. Um dia, depois de uma forte tempestade de areia em Jakku, Rey  encontra uma nave em quase perfeito estado e passa a recuperá-la pouco a pouco. É muito interessante ver a persoangem com seus conhecimentos mecânicos, montando de volta a nave e, na medida de possível aprendendo a confiar nos seus novos parceiros. Rey tem um potencial imenso e de posse de uma nave em perfeito estado poderia fazer a vida em qualquer lugar da galáxia e sair da miséria de Jakku. Mas não é isso o que ela quer. Ela aguarda que cumpram uma promessa, e por isso, continua esperando e nem sonha em sair do planeta em que está.

A parte do Poe Dameron conta como ele se alistou na Resistência. No filme ele já aparece como um piloto destemido que luta sem piscar contra a Nova Ordem. Mas nem sempre foi assim. Poe se tornou um piloto inspirado por sua mãe, uma pilota de caça durante a rebelião. E, uma vez que o Império já tinha caído e viviam em tempos de paz, ele entrou para a frota de pilotos da República, garantindo a segurança dos lugares para onde era designado. No entanto, Poe sentia e sabia que a Nova Ordem (movimento que busca trazer de novo o Império no controle da galáxia) estava se tornando mais forte e vinha se espalhando tanto quanto o Império o fizera antes. A República figia que não estava vendo e atava as mãos de Poe. Então, um dia ele descobre uma prova irrefutável de que a Nova Ordem está prestes  tomar novamente o poder que tinha antes. E é quando ele percebe que não pode mais seguir as ordens burocráticas da República e não pensa duas vezes quando é convidado para fazer parte da Resistência, liderado pela General Organa, ninguém mais, ninguém menos que a Princesa Leia.

Super indico essa leitura para quem é fã da franquia e deseja conhecer um pouco mais sobre o trio que se formou em o Despertar da Força. A leitura é fluida e rápida, mas senti que fluiu ainda mais na parte do Poe. Talvez porque as descrições dos combates espaciais com as naves sejam empolgantes, ou porque, me fez pensar em detalhes que nos filmes eu não percebia, como, o quanto pode ser desconfortável o cheiro dentro de um uniforme de vôo ou de uma nave de caça quando passamos muito tempo lá. Também foi muito interessante ver o treino de um stormtrooper ou ter uma consciência mais concreta de como é viver em um planeta miserável, tendo que catar peças que funcionavam para garantir água e a refeição do dia...

Então é isso pessoal, esse foi o jeitinho baratal de comemorar o Star Wars Day.

Vou ficando por aqui e...
até a próxima, Folks!