A casa dos vagalumes

 


Autor: Isabella Procópio

Gênero: Ficção, Fantasia

Páginas: 126

Editora: Pendragon


O livro de hoje é uma história curtinha e instigante, de quatro estranhos que aparentemente não tinham nada a ver um com o outro, até que um lugar muito peculiar os uniu. Sim, esse lugar é a casa dos vagalumes.

Nessa história, os jovens Marcela, Ana, Dirk e Edu se encontram em um estúdio abandonado no centro da cidade. O lugar aparentemente ficava aberto para quem quisesse entrar. E apenas corações em busca de um recomeço eram atraídos para lá.

A casa dos vagalumes tem um clima de suspense suave e vai nos guiando através de capítulos bem curtos, por uma história pacata, sem muitas reviravoltas, com um quê de fantasia, mistério e personagens cativantes.
 
Cada um dos protagonistas tem uma nota que os tornam únicos: Marcela ainda tem que lidar com a dor da perda do seu grande amor, Ana é uma artista itinerante e foge de um passado familiar mal resolvido, Dirk é alemão, estuda na universidade da cidade de Campo Verde e vem tentando aprimorar tanto o seu português, quanto os seus sonhos. Edu acabou de chegar na cidade, pronto para trilhar o seu próprio caminho, longe das discussões com o pai e da vida conturbada que tinha ao seu lado. Ah, também tem o Frederico, que não faz exatamente parte do grupo, mas que tem sua marca presente ali na história também. Ele é o irmão mais velho do falecido namorado da Marcela.

Há um lugar na fictícia cidade de Campo Verde em Minas Gerais, que acolhe aqueles que buscam por um novo começo. Esse lugar é o "Estúdio Mineiro de Música". O local está abandonado desde a década de 90, quando o estúdio, que se tornou famoso pelas histórias sobrenaturais, fechou as portas. O lugar pertencia à família de Marcela, mas ninguém se importava. Tanto que o estúdio ficava com a porta encostada e qualquer um podia entrar lá.

A história começa quando Edu chega a cidade. Ele está exausto e abatido. E ao sentar na praça do centro, se sente irremediavelmente atraído pela porta do estúdio. Quando ele entra lá, percebe que o lugar está abandonado há anos, e aproveita para tirar um cochilo. Mas ele acaba passando bem mais que o tempo de um cochilo por lá. E cada um dos outros, por seus próprios motivos, acabam entrando no estúdio e foi natural que acabassem se encontrando. O quatro passam então a desenvolver uma forte amizade e passam a sonhar juntos em repaginar o estúdio.

Existem alguns mistérios ao longo da trama, envolvendo Edu, Marcela, Frederico e muitos vagalumes. As pessoas da cidade acreditam que os vagalumes estão ligados a bons espíritos que curam ou realizam desejos. Imagine só o que vai rolar quando o lugar aparentemente abandonado voltar a erguer suas luzes inexplicáveis?

A narrativa de A casa dos vaga-lumes é suscinta e precisa, nos dando o suficiente para nos envolvermos com a trama e os personagens. Em alguns momentos me senti um pouco perdida nas passagens de tempo, mas nada que comprometesse a experiência de leitura.

Livro indicado para quem gosta de histórias pacatas, de amizade e de crescimento dos personagens. E para quem está afim de uma leitura que, embora curtinha, deixa o coração quentinho.

Vou ficando por aqui... até a proxima folks!