domingo, 5 de julho de 2015

Doctor Who - Mortalha da Lamentação

Autor: Tommy Donbavand
Gênero: Ficção
Páginas: 176
Editora: Suma de Letras

"Doctor Who" é uma série da Britânica BBC, no ar há mais de cinquenta anos. Está presente no "Guinness Book", o livro dos recordes como a série mais longa já exibida no mundo.
A história gira em torno do Doutor, um alienígena com uma máquina do Tempo chamada T.A.R.D.I.S. (Time and Relative Dimension(s) in Space / Tempo e Dimensão Relativas no Espaço).

Nesta nave que tem o aspecto de uma cabine telefônica policial antiga, o Doutor viaja pelo tempo com seus amigos e companheiros de aventuras.

Uma das razões da série ter se alongado por tanto tempo é o fato do Doutor, sendo da raça dos Senhores do Tempo ter a capacidade de regeneração. Ou seja, quando ele está prestes a morrer ele pode se regenerar e se tornar um "novo doutor". Isto foi usado na realidade como pretexto para a troca de ator na série. Pois o primeiro doutor estava com a saúde debilitada e não poderia continuar. Desde então o Doutor já teve treze regenerações.
Em "Mortalha da Lamentação", o Décimo primeiro Doutor junto com sua companheira Clara Oswald, viajam no tempo e sem saber acabam "estacionando" um dia depois da morte do presidente Kennedy. O país está de luto e sem querer isto o torna fonte de uma ameaça alienígena que pode acabar com todo o planeta.
Isto porque as pessoas começam a ver rostos sendo formados nas poças de água, nos lençóis, nas queimaduras... ou seja, em qualquer superfície.
Poderia ser só um caso de ver formas em nuvens, se estes rostos não começassem a falar. Sim, eles falam. E ainda por cima os acusam de todos os sofrimentos que tiveram em vida. Isto por que os rostos pertencem a pessoas falecidas, entes queridos das pessoas para quem eles aparecem. 
Estas visões trazem extremo sofrimento e lamentação as pessoas... Sim, estes rostos são a Mortalha da Lamentação. 
Ao se dar conta da situação alarmante, imediatamente o Doutor começa a investigar. A partir dai revemos todos os elementos já ícones da série: O lado cômico, excêntrico e brilhante do Doutor, a chatice da Clara ( um dos motivos da minha leitura ter se alongado) e toda a ação e correria já atribuídas ao personagem para resolver suas tramas. 
Somos também apresentados a outros personagens coadjuvantes que ganham destaque: Mae e Warren. Vítimas da mortalha, eles acabam embarcando na louca aventura de viajar no tempo e espaço com o Doutor para salvar o planeta.
O "non sense" e o trágico são dosados na forma exata da série pelo autor.  O Doutor embora seja uma pessoa alegre, também demostra seu lado mais sensível neste confronto com a mortalha.
Um ótimo livro para fãs da série e quem gosta de ficção cientifica e retrofuturista. Para quem quiser acompanhar a série de TV, ela está sendo exibida na TV Cultura de segunda a sexta ás 20 horas.


Os 11 Doutores


Doctor Who na TV Cultura: http://tvcultura.cmais.com.br/doctorwho/setimoano/index.html
Postar um comentário