quinta-feira, 31 de março de 2016

A Música do Silêncio

Autor: Patrick Rothfuss
Gênero: Ficção, Conto, Onírico
Páginas: 144
Editora: Arqueiro

Contém SPOILERS inevitáveis. 

Logo no inicio do livro, Patrick Rothfuss já deixa claro que este livro pode não ser para qualquer leitor. Isso porque neste livro, o autor que é famoso pelas obras O Nome do Vento e O Temor do Sábio, tomou uma abordagem diferente.


O livro tem o ponto de vista de uma única personagem, ele é totalmente narrado em primeira pessoa e por este personagem viver num mundo unicamente dele. Talvez nem todos tenham afinidade com o contexto da obra.  

Este conto é parte do universo da trilogia Crônicas do Matador do Rei, publicado também pela Editora Arqueiro. Neste universo é contada a trajetória de vida de Kvothe e seu percurso de andarilho a arcanista (mago), de guerreiro a lenda. 

No meio desta trajetória uma das amizades que Kvothe faz é com a jovem Auri. A protagonista do nosso conto. 

Ela é uma jovem cheia de mistérios, não costuma se relacionar com outras pessoas. Vivendo sozinha nos subterrâneos da universidade, durante a trilogia vemos Auri apenas pelos olhos de Kvothe e não sabemos como é seu dia a dia ou sua vida num lugar tão estranho.
É isto que Patrick nos apresenta: uma semana na vida de Auri. 

Auri é uma personagem no mínimo excêntrica, preciso deixar claro isto. Poís alguém que não conhece a trilogia original não vai entender a lógica da personagem sem isto.
Auri aparentemente era uma das alunas da universidade, embora não seja contado o que houve com ela em algum momento ela enlouqueceu, teve um distúrbio mental ou uma iluminação mágica.
Desde então ela se isola nos subterrâneos num mundo particular, no qual ela dá nome aos objetos e locais que encontra.

No universo de Crônicas do Matador do Rei, os nomes tem poder. Se você sabe o nome de uma coisa, você pode controla-la. Isto é visto com mais ênfase em O Nome do Vento.
Tendo isto em mente, fica mais claro para o leitor os hábitos de Auri, o porque ela fica incomodada por encontrar um objeto que pareça sem nome ou sem alma. Ela parece ser extremamente intuitiva para as coisas em si. Se isto faz dela uma maga poderosa ou uma louca de pedra cabe ao leitor julgar ao ler e tomar suas conclusões.

Eu pessoalmente gostei muito do conto, Auri é uma personagem querida pela maioria dos fãs da série e quando entendemos o seu background misterioso tudo ganha um lado onírico e mágico.

Aconselho a todos a lerem a série, o conto de Auri no entanto é mais recomendado para quem já conhece os outros livros. Se mesmo assim você quiser se aventurar nele primeiro, por ser mais fino. Aconselho que depois que ler os outros livros, volte e leia este novamente. Ele ganhará novo significado e ficará muito mais rico a seus olhos.

Postar um comentário