quarta-feira, 11 de abril de 2018

Pipoca com Mostarda Apresenta: Aniquilação!







Boa noite Belos e Belas!!




Trouxe desta vez para acompanhar a pipoca com mostarda um filme bem diferente, Aniquilação. Indico para quem quer colocar a cachola para pensar, pois trata de um gênero pouco conhecido: Terror Cósmico! E não, gente, não é o típico filme de alien preso na nave e tripulação em pânico e lá lá lá. É um universo aberto, amplo, cheio de possibilidades, mistério, beleza, horror, genética, cores e muito mais!


“Ah, mas tia Jeni, como pode ser colorido, bonito e ser de horror também?”


Como? Eu vou te dizer como... Alias! Melhor: não vou te dizer, vai ter que assistir! 


Já devem ter percebido que costumo levantar temas de filmes e séries que provoquem burburinho e discussões na sala de casa, que te façam pensar e olhar as situações com outro ângulo, obras que são dignas de “levar para a marmita”! 





Sem mais delongas, vamos ao prato principal!



O filme traz um cenário um tanto quanto interpretativo e intuitivo, a cada cena terá que interpretar e adivinhar o que está havendo, pois poucas coisas são as situações e que baterá o olho e entenderá tudo o que está ocorrendo. Atenção! Preste atenção aos detalhes, seja um “xeroque homes” neste filme pois ele possui muitos fragmentos escondidos primordiais para a compreensão e captação da trama.



Temos a presença então de Lena (Natalie Portman), uma ex militar que era casada com Kane (Oscar Isaac) do mesmo ramo. Depois do desaparecimento de seu marido, Lena o vê retornar depois de um ano, misteriosamente. Sem pistas, sem rastros e para piorar, Kane não se lembra de nada do que aconteceu, além de revelar um comportamento muito estranho. Confusa e desorientada com sua volta, Lena acaba por se juntar a um grupo de pesquisadores do governo que estão ligados a missão do qual seu marido foi enviado um ano atrás, tudo isso para poder descobrir o que, misteriosamente está causando a morte de Kane. 




A missão se revela suicida e muito intrigante, pois apenas ele retornou. A história é contada em todo o filme pela própria Lena, mostrando que foi a única sobrevivente desta expedição com as pesquisadoras (sim, todas mulheres). A história é progressiva, misteriosa e traz a sensação de confusão junto das personagens, que sabem tanto quanto nós!



Não posso passar mais informações sobre o enredo pois não quero dar spoilers e quero que assistam o filme sem ter ideia do que encontrar no decorrer dele, assim como eu.



Vou me focar agora em falar sobre as impressões: Primeiro que senti que apesar de ser um filme com o potencial gigante, pouco soube aproveitar algumas ideias colocadas, talvez se o filme tivesse 4 horas ele chegaria lá. Já de adianto não espere terminar o filme e ter a resposta de tudo na bandeja ou a resolução de tudo. O filme acaba na incógnita e não explica NADA e eu acho isso ÓTIMO. Sabem porquê? Porque é das dúvidas que se nascem as interpretações, se não houvesse dúvida não haveria o que “levar para a marmita”! Já falei e vou repetir: Estamos acostumados a direção dos filmes americanos que tudo tem um começo, meio complicados e confusos e um fim que explica tudo! Qual a graça nisso, afinal? Acabar o filme e discutir sobre o que?



Vamos lá né, amiguinhos! Vamos forçar a cachola e abrir a mente, vão ver que as dúvidas são asas para a imaginação! 





Segundo ponto, as habilidades das cientistas deveriam ter recebido maior atenção, deveriam ter dado a chance de elas colocarem em ação o que treinaram a vida toda, afinal são profissionais. Isso infelizmente, em algumas cenas, as fizeram parecer amadoras. Mas de um modo geral o filme é impressionantemente intrigante, te deixa na ansiedade todo o tempo e valeu muitíssimo a pena!



Eu torço de coração que tenha uma continuação ou que se torne uma série, pois esse tema, essa ideia fantástica tem muito o que explorar ainda! 





Espero que se divirtam e assistam, heim! Comente e compartilhe sua opinião, vamos debater sobre! Agora me despeço deixando com os Belos e as Belas um BIG balde de pipoca com MOSTARDA! 

Ass. Jeniffer Alba
Postar um comentário