terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Feitos de sol


Autor: Vinícius Grossos
Editora: Faro Editorial
Gênero: Romance/ ficção
Páginas: 256

"O jeito mais fácil de destruir a si próprio é lutar contra quem você é!" (Vó Emir, Personagem de Feitos de Sol).

Olha eu aqui, com outro romance! Acho que fevereiro está me deixando romântica, já que depois de indicar LOVE IS, venho novamente, toda saltitante, com uma resenha que cheira a sonhos, descobertas e novos amores.

Em Feitos de Sol, conhecemos Cícero, um garoto que tem muito a descobrir sobre si mesmo e Vicente, outro garoto, que já se descobriu há muito tempo e procura pelo seu lugar no mundo.

Vicente tem um ar misterioso, auto confiante, destemido e aventureiro. Ele fuma, bebe, adora música e está sempre pronto para encarar uma nova experiência, desde que muito bem escondido de sua família ultra religiosa, que o faz sentir a pior pessoa do mundo.

Cícero é um garoto simples, um pouco tímido e romântico que adora desenhar, ver filmes e curtir sua amizade colorida com a amiga Karol. A única família que ele tem é a sua mãe e os dois tem um ótimo relacionamento, construído a base da confiança.

Eu poderia dizer que Cícero e Vicente se encontraram, se apaixonaram e fim, teríamos a resenha mais curta na história desse blog. Mas esse livro vai um pouco além do romance entre garotos e leva a gente para uma viagem no tempo, onde percebemos que algumas coisas mudam e outras... nem tanto.


O ano é 1999 e os dois garotos se esbarram na porta da única loja da cidade que vendia a série de que eram fãs. A loja, inclusive, tinha acabado de fechar para sempre, deixando os garotos sem saber o final da história de Under Hero.  Sabe aquele ditado que diz que ver alguém lendo seu livro favorito é como se o livro estivesse recomendando a pessoa? Pois bem, nesse caso, ser fã de Under Hero, fez com que Cicero e Vicente fossem com a cara um do outro assim que se conheceram.

Enquanto eles confabulam a respeito do fim do mundo com a volta do Messias ou da rebelião das máquinas, e tentam conseguir uma maneira de conseguir o a última edição de Under Hero, também vão descobrindo que o sentimento que tem um pelo outro é mais profundo que a amizade e se percebem apaixonados. E com a descoberta desse amor, vem todo o pacote junto: a vida dupla e complicada de Vicente, Cícero aprendendo a ver o mundo com outras cores e abrindo os olhos para uma realidade que nunca tinha sequer imaginado que existia.

É muita coisa acontecendo ao mesmo tempo para dois garotos com todas as limitações da adolescência, quando a gente acha que nosso mundo vai mesmo acabar a qualquer instante, quando as dores parecem que vão machucar para sempre, quando simplesmente temos que baixar a cabeça para a família pois ainda somos dependentes.

A história é narrada em primeira pessoa por Cícero e conhecemos o Vicente através do seu olhar. Também conhecemos os seus medos, seus sonhos, suas dúvidas.  Há também uma forte presença de personagens femininas, que eu percebi mais como “mentoras”. Outro charme super especial são as várias referências a bandas e filmes dos anos 90, evocando uma certa nostalgia.

Acompanhar o processo de descoberta e aceitação proposta pelo livro, acaba nos envolvendo numa leitura suave e fluida, nos lembrando que o amor não precisa de rótulos. Amar não exige pré requisitos. E é isso que vemos em Feitos de Sol: a descoberta do amor. Ou melhor, a descoberta de que é possível amar sem preconceito, sem cinismo, sem regras. O amor vai além de gêneros e aparências. Para amar, basta estar vivo. E é assim que nos enxergamos refletidos na história de dois garotos de quinze anos que descobrem que todos carregamos o sol em nossos corações.

Vou ficando por aqui e...
Até a próxima folks!