quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Por que eu gosto é de livros!

Por Jeniffer Alba


Desde o inicio dos tempos, estamos evoluindo e indo cada vez mais fundo no mar tecnológico. Tão fundo que tem se tornado mais prático iluminar nossos caminhos nesse oceano com as telinhas de nossos celulares, tablets, etc. Porém há aqueles que não abrem mão dos velhos tempos, preservando costumes e identidade cultural.
Confesso que sou um pouco conservadora quando a matéria é livro, afinal eu fui apresentada ao Caminho das Letras com mangás, HQ’s e livros. O ato de acariciar a capa, sentir sua textura e cheiro antes de iniciar uma leitura ansiosa fizeram parte de minha formação. Aprendi a ler com todos esses sentimentos ao segurar essas maravilhas.
Por esse motivo não me permiti experimentar a leitura em um dispositivo móvel. Até tentei, mas não consegui passar de dois parágrafos sem me distrair com Whatsapp ou Facebook. Haha’
Em minha defesa, Barateiros, vou listar abaixo os principais motivos que me impediram de seguir com uma leitura em meu celular. Vamos lá?








Round 01 – Praticidade

Quem um dia irá dizer (que não existe razão das coisas feitas pelo coração) que o livro não é pratico? Mesmo que, dependendo do tamanho, acabam pesando e fazendo toda a diferença na nossa “bagagem” ao final do dia e o transporte deles gerar em folhas amassadas se feito sem os devidos cuidados (que eu ensinei nesse post), você pode tirá-lo da bolsa, mochila, bolso e ler em qualquer lugar ou hora. Além de dar um charme, se é que vocês me entendem... ;)
Um universo completamente mágico e distante da nossa dura realidade em apenas um “bloco” de papel decorado (ou não) na capa, tem algo mais prático do que isso?





Round 02 – Vida útil

Quando falamos de livros, cuidando bem dele, seu tempo de vida útil pode ser de anos e anos. Eu, titia Jeni, tenho livros de 26 anos de idade, por exemplo. Porém, por mais que você cuide, acidentes acontecem, como por exemplo, pegar uma chuva com seu amigo na mochila, deixar cair comida na correria no horário de almoço ou emprestar para seu amigo que infelizmente tem um cachorro papa-livros.
Mesmo assim molhar, rasgar ou manchar não torna o livro inútil, existem inúmeras maneiras de recuperá-lo, só tornará a situação irreversível se você atear fogo no livro, aí não há muito o que possamos fazer por ele (embora seja muito difícil queimar um livro por inteiro por acidente). Se eu fosse ler pelo celular e qualquer situação parecida com essa acontecesse a ele, eu não teria mais um telefone.



Round 03 – Conforto

O livro é super confortável de se ler, sentir o cheiro de suas páginas, folhear e apreciar as obras de arte que algumas capas são. Podem ser usados para decorar as prateleiras de quartos e salas de forma divertida e muito estilosa. Tem algo mais aconchegante do que um prateleira bem arrumada com capas de várias cores e tamanhos? Temos a vantagem de emprestá-los também, sem precisar entregar nosso celular ou tablet.
E outra, dar livros de presente é um elogio!Escrever um recadinho nas primeiras páginas dele para depois entregá-lo é quase como uma tradição entre os leitores.  Só quem ama mesmo sabe o valor emocional que tem cada livro, recadinho e marca página .





Enfim, são esses os motivos que me fazem preferir um livro a ler no celular. Acho super bacana quem utiliza dos dois meios para desfrutar do lazer ou tornar mais fácil seu cotidiano. Afinal, o importante é o conteúdo, seja lá onde e como você o adquire.

Gostaram do post? Então comentem suas preferências abaixo!

E lembrem-se, pequenos gafanhotos: Um leitor é um leitor, independentemente de como e quanto ele lê. O que faz de alguém um leitor é a absorção dos ensinamentos e perspectivas presentes entre as palavras, parágrafos e linhas puladas, seja em um livro físico ou não.












Postar um comentário