segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Morte no Conselho Carmim

Sentia a brisa nos cabelos a bordo do convés. Era a primeira vez que estava num navio, principalmente numa viagem tão longa. Suspirou fundo mais uma vez, tentando entender por que alguém em juízo perfeito o teria escolhido como representante.

Ainda lembrava da noite anterior, mal tinha acordado em sua cabana a beira das rochas perto da praia. Estava pensando em pescar ou caçar algum animal para sua refeição noturna, quando Ahman apareceu. Ele era o primeiro filho a ser criado por sua mestra Nadine, e agia como se fosse o chefe do clã. Já que a própria Nadine estava além de qualquer sanidade. 

Então foi de surpreender quando este foi até sua humilde cabana lhe pedir que representasse o clã numa reunião na Europa. Europa! 

Mal havia saído das redondezas da ilha em sua curta existência, seu corpo embora pálido por conta do vampirismo ainda conservava uma distante tonalidade bronzeada que sempre ficava mais acentuada depois de se alimentar. A questão é que não havia nenhum motivo para mandar a mim, Kai. Um simples surfista havaiano para uma reunião internacional da sociedade vampira.

Uma vez que nunca havia encontrado ninguém além de seu clã na pequena ilha, pensava que isto só podia significar uma coisa: Morte. Afinal, Ahman nunca gostou dele, sempre o invejara.

Alguma coisa muito ruim ia acontecer por lá, e ele o estava mandando para se livrar dele sem sujar as mãos. 

Embora Kai fosse só mais um da linhagem de Nadine, muitos o tratavam com deferência por ele ser o mais próximo dela. Não que ele tivesse escolhido isto.

Quem escolheria ser mordido por uma lunática no meio das rochas quando fazia uma trilha?
O fato da toca dela ser perto da cabana dele era pura coincidência, e o fato dela sempre aparecer lá do nada também. Mas, por alguma razão os outros achavam que isto era a forma de Nadine o escolher como um possível sucessor. Sucessor!

Riu amargamente da ironia: Kai Nohouka, o vampiro surfista chefe..... HAHAHAHA!
Parou ao notar que alguns passantes o observavam, os humanos não podiam saber quem ele era, tinha que ser discreto. E tinha que permanecer são e não acabar louco como Nadine.

Olhando para o mar uma última vez antes de descer para sua cabine, logo seria o amanhecer. Pensou em como era pacífica sua casa no Havaí antes de tudo isto acontecer, mas o passado já foi. Iria lidar com os outros vampiros da alta sociedade quando chegasse lá. Desceu as escadas pensando no pequeno gato que havia capturado mais cedo e seria seu jantar antes de adormecer.


E esse foi um conto de Josy Santos!

Este é apenas o primeiro capítulo do que vocês vão acompanhar por aqui e no WattPad em breve.
Me aventurando no mundo das letrinhas há cerca de um ano, incentivada pela Dany Fernandez, minha companheira no blog "Barato Literário".
Publiquei os contos "Estrela" e "O Mago" na antologia "Etéreo- Contos Fantásticos" da Andross Editora e o conto "Sereia Negra" na antologia "Criaturas do Submundo" da Editora Wish.
( O personagem do conto "Sereia Negra" é do mesmo universo e também deve aparecer por aqui no "Conselho Carmim"!).
Espero que gostem da leitura, por favor comentem e deixem sua opinião.
Abraços
Postar um comentário