sábado, 28 de outubro de 2017

Magnus Chase e os Deuses de Asgard - O Navio dos Mortos

Autor: Rick Riordan

Gênero: Ficção, Aventura
Páginas: 368
Editora: Intrínseca (trecho em pdf do livro)

Último volume da trilogia, após os acontecimentos de O Martelo de Thor, Magnus se vê em uma corrida contra o tempo para impedir o Ragnarok, não é o filme da Marvel o fim do mundo nórdico.

Evento que será desencadeado quando Loki zarpar com seu navio feio de unhas de gente morta argh!. Embora este seja um problema catastrófico, nenhum dos deuses resolve ajudar, deixando que os adolescentes sem nenhuma habilidade tomem conta da situação.
De certa forma, isso é justificado por que cada Deus tem um papel no Ragnarok. Então eles alegam que  não podem interferir diretamente.
Sendo assim, Frey tenta ajudar o filho enviando um navio supeerrr discreto para que o grupo faça sua viagem rumo ao confronto com Loki.
Rick Riordan ganhou muitos pontos comigo neste livro, o que me incomodou nos volumes anteriores ele solucionou. Dando ênfase nos personagens e aprofundando o universo de cada um, falando de seus passados e como chegaram ao Vahalla. Isso era um detalhe vital que faz com que nós apaixonemos pelo grupo lamentemos o fim da série. Já que justo agora que gostamos de todos, ele resolveu encerrar a trilogia. 
A PARTIR DAQUI TEM UM GRANDE SPOILER!!! 


Durante a jornada no navio, também somos surpreendidos com o fato que o duelo com Loki ao final não é uma luta corporal como na maioria dos livros, mas sim um duelo de palavras. Segundo a própria mitologia, Loki teria confrontado e humilhado os deuses em uma ocasião através deste mesmo duelo de palavras que agora Magnus tão eloquente quanto uma laranja, terá que protagonizar.
Adorei a forma como a situação é narrada, e como Magnus age no confronto. Ele mostra que não precisamos nós rebaixar ao nível do inimigo em uma discussão.
O romance também é estabelecido como o esperado com a personagem de Alex de Fierro, e funciona muito bem. 
O navio dos mortos, não apenas preencheu lacunas como satisfaz em toda a narrativa. Recomendo a trilogia toda e rezo para que o autor mude de ideia e escreva mais. Por que o resultado final ficou ótimo. 

Sinopse: O destino dos mundos está de novo nas mãos de Magnus Chase. Será que ele vai conseguir derrotar Loki de uma vez por todas?
Nos dois primeiros livros da série, Magnus Chase, o herói boa-pinta que é a cara do astro de rock Kurt Cobain, ex-morador de rua e atual guerreiro imortal de Odin, precisou sair em algumas jornadas árduas e desafiar monstros, gigantes e deuses nórdicos para impedir que os nove mundos fossem destruídos no Ragnarök, o fim do mundo viking. Em O navio dos mortos, Loki está livre da sua prisão e preparando Naglfar, o navio dos mortos, para invadir Asgard e lutar ao lado de um exército de gigantes e zumbis na batalha final contra os deuses.
Desta vez, Magnus, Sam, Alex, Blitzen, Hearthstone e seus amigos do Hotel Valhala vão precisar cruzar os oceanos de Midgard, Jötunheim e Niflheim em uma corrida desesperada para alcançar Naglfar antes de o navio zarpar no solstício de verão, enfrentando no caminho deuses do mar raivosos e hipsters, gigantes irritados e dragões malignos cuspidores de fogo. Para derrotar Loki, o grupo precisa recuperar o hidromel de Kvásir, uma bebida mágica que dá a quem bebe o dom da poesia, e vencer o deus em uma competição de insultos. Mas o maior desafio de Magnus será enfrentar as próprias inseguranças: será que ele vai conseguir derrotar o deus da trapaça em seu próprio jogo?
Postar um comentário